Algo fora da Via Láctea intriga os astrônomos

O telescópio espacial Kepler fez uma descoberta “bizarra” na órbita de uma estrela extra-galáctica. A luz emitida pelo astro está sendo bloqueada por um objeto de enormes dimensões e os astrônomos admitem todas as hipóteses, inclusive a de se tratar de uma construção alienígena.

Esfera-de-Dyson
Imagem meramente ilustrativa.

A estrela, chamada KIC 8462852, experimenta uma profunda variação em seu brilho, o que não é nada incomum por conta própria. O telescópio espacial Kepler descobriu milhares de exoplanetas observando seus trânsitos através de estrelas vizinhas, o que causa um escurecimento no brilho da estrela brevemente. No entanto, as variações no brilho são muito extremas e incertas para serem o resultado de um exoplaneta em trânsito. Um trânsito geralmente faz com que o brilho de uma estrela escureça por menos de 1% e em uma base periódica, conforme o exoplaneta orbita a estrela regularmente. Mas esta estrela tem experimentado enormes quedas no brilho, de até 22%, o que simplesmente não poderia ser o resultado de um planeta, e não parece estar ocorrendo em forma cíclica.

Há várias explicações que são um pouco plausíveis, mas nenhuma é perfeita. Faz sentido que houve algum tipo de colisão planetária no passado recente que fez com que enormes pedaços de detritos cercassem a estrela. Mas é de se esperar que o pó criado em uma enorme colisão emita luz infravermelha em excesso, o que não foi observado na área que cerca a estrela. A melhor explicação é uma série de cometas que circundam a estrela, mas mesmo assim é difícil de explicar um enorme bloqueio na luz da estrela.

Como resultado, o principal autor do estudo Tabetha Boyajian foi à procura de outras explicações, e consultou Jason Wright, um astrônomo que se especializa em busca de assinaturas de civilizações alienígenas. De acordo com Wright, uma esfera Dyson construída por uma civilização alienígena avançada seria consistente com os resultados. Concepções mais plausíveis de uma esfera Dyson consistem de centenas de milhares de painéis solares em órbita da estrela ao invés de uma estrutura enorme, por isso é possível que uma civilização alienígena vivendo em um planeta próximo tenha construído a estrutura para aproveitar energia da estrela. Se parte da estrela é cercada por painéis, as variações extremas no brilho poderiam ser explicadas.

Wright e Boyajian agora estão propondo procurar sinais de rádio emitidos em torno da estrela, localizada a 1500 anos-luz de distância. Esta explicação é provavelmente altamente improvável, pois mesmo Wright admite que devemos “abordá-la com ceticismo.” Mas é um fenômeno astronômico inegavelmente estranho, portanto, pode haver uma explicação igualmente estranha, e vale a pena investigar.

Fonte: Independent

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s